Arquivo da tag: autoimune

O que é síndrome de guillain-barre? Como isso está relacionado à fibromialgia?

Por: http://daily.allabouthealtips.com/

Muitas pessoas se perguntam se a síndrome de Guillain-Barr e a fibromialgia estão relacionadas. Ambos produzem sintomas bastante semelhantes em pessoas que sofrem com eles, o que facilita ver por que as pessoas pensam que pode haver uma conexão entre a síndrome de Guillain-Barré e a fibromialgia. Mas há uma olhada no que exatamente são essas doenças e como elas estão relacionadas.

O que é síndrome de guillain-barre?

A síndrome de Guillain-barre (que na verdade é pronunciada como raio-x no caso de você perguntar) é uma doença que faz com que o sistema imunológico do seu corpo comece a atacar seus nervos. Ninguém sabe exatamente o que a causa, mas o fato de muitas vezes começar após uma doença grave significa que seu corpo pode reagir exageradamente à exposição a um vírus.

Você vê que, em uma pessoa saudável, o sistema imunológico funciona enviando glóbulos brancos para atacar células estranhas, como vírus ou bactérias. Mas com doenças auto-imunes, como a síndrome de Guillain-Barré, esses glóbulos brancos tornam-se sensíveis demais e começam a confundir suas próprias células com invasores estrangeiros. Portanto, para pessoas com uma doença auto-imune, o corpo está se atacando.

Como resultado, as pessoas com Guillain-barre têm uma série de sintomas. Esses incluem:

Dores musculares e fadiga
Sensação de formigamento nas extremidades que causa dormência
Dor intensa na região lombar

Geralmente, a doença começa após uma doença com uma sensação de picada ou formigamento nos dedos e se espalha para o resto do seu corpo. Pouco a pouco, fica mais difícil mover os músculos à medida que a doença se espalha. Em casos graves, a síndrome de Guillain-barre pode levar à paralisia total em alguns minutos. Pode ser fatal se a paralisia se espalhar para os pulmões, o que torna a respiração impossível.

Mas para a maioria das pessoas, a condição geralmente se resolve, embora a recuperação possa levar semanas ou até meses. Obviamente, a condição requer tratamento por profissionais médicos, no entanto.

O que é fibromialgia?

A fibromialgia é outra condição que produz muitos sintomas semelhantes. Causa dores musculares e fadiga e causa dor na região lombar. Ninguém sabe ao certo o que causa a fibromialgia, mas muitas pessoas acreditam que também pode ser uma doença autoimune.

É possível que a síndrome de Guillain-Barr e a fibromialgia sejam causadas pela mesma coisa, que é o sistema imunológico que ataca os nervos. No momento, no entanto, ninguém sabe ao certo exatamente como a fibromialgia causa os sintomas que causa.

Mas é definitivamente diferente da síndrome de Guillain-barre em alguns aspectos cruciais. Primeiro, a dor se manifesta em 18 pontos específicos do corpo, em vez da dor generalizada do SGB. Segundo, as pessoas com fibromialgia não ficam paralisadas gradualmente como as pessoas com SGB. Finalmente, enquanto a síndrome de Guillain-Barr geralmente cura após algumas semanas ou meses, a fibromialgia não melhora com o tempo e não há cura eficaz para ela.

E ninguém sabe ao certo qual é exatamente o elo entre a síndrome de Guillain-Barr e a fibromialgia, mas parece que pode haver um.

Como estão relacionados a síndrome de Guillain-Barr e a fibromialgia?

Bem, é aqui que as coisas ficam difíceis. Sabemos que Guillain-barre e fibromialgia produzem sintomas semelhantes. E sabemos que ambos atacam os músculos. Mas não está claro se ambos são do mesmo tipo de doença.

Mas parece haver uma conexão no sentido de que Guillain-barre pode realmente levá-lo a desenvolver fibromialgia. Uma luta com a síndrome de Guillain-Barr é frequentemente extremamente traumática no corpo. E foi estabelecido que esse tipo de trauma pode desencadear fibromialgia.

De fato, pessoas com Guillain-barre relataram que foram diagnosticadas com fibromialgia após se recuperar do SGB. Portanto, é possível que a sensibilização excessiva do sistema imunológico que acompanha o SGB também cause fibromialgia posteriormente. Por outro lado, essa conexão pode ser uma total coincidência.

Infelizmente, embora haja evidências anedóticas de pessoas que sofrem de fibromialgia que sugerem que há uma ligação entre fibromialgia e síndrome de Guillain-Barre, até agora, os médicos não demonstraram conclusivamente. Mas ainda assim, parece que eles devem ter algum relacionamento, certo? Afinal, eles parecem afetar o corpo de maneira semelhante. Portanto, parece provável que o desenvolvimento de uma melhor compreensão das funções básicas que desencadeiam ambas as condições possa ajudar a alcançar o progresso e o estudo de como os nervos produzem síndromes de dor crônica.

E isso dá esperança de que um dia possamos entender a relação entre a síndrome de Guillain-Barre e a fibromialgia. E isso pode dar uma chance melhor de curar as duas doenças.

Saiba mais sobre espondilite anquilosante, doença incurável que atinge articulações

espondilite anquilosante atinge as articulações do esqueleto axial, causando lesões nos ossos da cabeça, tórax e coluna, costas, joelhos, e quadris. Pesquisadores ainda não descobriram a cura da doença, que é inflamatória e crônica.

Nesta quarta-feira, 23, o cantor Zé Felipe, filho do sertanejo Leonardo, anunciou que descobriu a espondilite e iria iniciar tratamento.

O cantor sertanejo Leonardo e o filho Zé Felipe, que descobriu diagnóstico de espondilite anquilosante.

“Fui no reumatologista e descobri que estou com um tipo de artrite, que chama espondilite. E eu vou começar a fazer o tratamento hoje e vamos embora. Dois anos de tratamento que vou ter que fazer, de dois em dois meses, vou ter que tomar uma injeção, mas estou feliz”, garantiu o cantor em uma série de vídeos no Instagram.

A espondilite atinge mais homens do que mulheres, entre o final da adolescência até, em média, os 40 anos de idade.

Primeiros sinais e sintomas

Dor persistente na lombar, por mais de três meses, que diminui com o movimento e aumenta com o repouso, merece atenção. O desconforto pode comprometer a mobilidade da coluna, que fica mais rígida, e se espalhar para as pernas.

Outra característica peculiar é que as dores são mais intensas durante à noite.

Em casos mais graves, a patologia pode provocar lesões nos olhos, coração, pulmão, intestinos e pele.

Assista ao vídeo:

Importância do diagnóstico precoce

De acordo com informações da Sociedade Brasileira de Reumatologia, o diagnóstico precoce pode evitar a progressão da doença que, se não tratada, pode incapacitar o paciente.

O surgimento das dores na coluna ocorre de modo lento e insidioso durante algumas semanas. No início, a patologia costuma causar dor nas nádegas, possivelmente se espalhando pela parte de trás das coxas e pela parte inferior da coluna.

Frequentemente observa-se que a dor melhora com exercícios e piora com repouso, sendo pior principalmente pela manhã.

Alguns pacientes se sentem globalmente doentes, cansados, perdem o apetite e também perdem peso. Geralmente essa dor está associada a uma sensação de enrijecimento na coluna (rigidez), com consequente dificuldade na mobilização.

Eventualmente, o paciente também pode apresentar dor na planta dos pés, principalmente ao se levantar da cama pela manhã. Posteriormente, a inflamação das articulações entre as costelas e a coluna vertebral pode causar dor no peito, que piora com a respiração profunda.

Tratamento

O tratamento é feito basicamente para controlar o avanço da doença e aumentar a qualidade de vida do paciente, que terá de conviver com os sintomas principais.

Fisioterapia e cirurgia são indicadas em alguns casos, assim como a medicação para aliviar as dores, como anti-inflamatórios, analgésicos ou relaxantes musculares.