Polimialgia reumática

Por: https://www.msdmanuals.com/

A polimialgia reumática é a inflamação da membrana que reveste as articulações, causando dor intensa e rigidez muscular no pescoço, nas costas, nos ombros e nos quadris.

  • Desconhece-se a causa.
  • O pescoço, as costas, os ombros e os quadris tornam-se rígidos e doloridos.
  • Exames de sangue e, ocasionalmente a biópsia de um músculo, ajudam os médicos a realizar o diagnóstico.
  • A maioria das pessoas melhora drasticamente com o uso do corticosteroide prednisona.

A polimialgia reumática ocorre em pessoas com mais de 55 anos. Mulheres são afetadas mais frequentemente do que homens. Desconhece-se a sua causa. A polimialgia reumática pode ocorrer antes, depois, ou juntamente com a arterite de células gigantes (temporal). Alguns especialistas entendam que esses dois transtornos são variações do mesmo processo anormal. A polimialgia reumática é aparentemente mais frequente.

Sintomas

Os sintomas podem se desenvolver de forma repentina ou gradual. Dores intensas e rigidez ocorrem no pescoço, nos ombros, nas partes superior e inferior das costas e nos quadris. A rigidez e o desconforto se agravam pela manhã e após períodos de inatividade e acabam se tornando graves o suficiente para impedir que as pessoas saiam da cama e façam suas atividades simples. As pessoas podem se sentir fracas, mas os músculos não estão danificados ou fracos. As pessoas também podem ter febre, sentir mal-estar geral ou depressão e perder peso de forma não intencional.

Algumas pessoas com polimialgia reumática apresentam também os sintomas de arterite de células gigantes, que podem causar cegueira. Algumas pessoas têm artrite leve, mas se a artrite for grave ou for o principal sintoma, o diagnóstico mais provável é o de artrite reumatoide.

Diagnóstico

  • Exame físico
  • Exames de sangue
  • Resposta a corticosteroides

O diagnóstico é estabelecido em função dos sintomas e dos resultados do exame físico e dos exames de sangue, bem como na resposta aos corticosteroides (a maioria das pessoas com polimialgia reumática melhoram muito rapidamente quando tratadas com corticosteroides). Os exames de sangue geralmente incluem o seguinte:

  • Velocidade de hemossedimentação (VHS), níveis de proteína C-reativa, ou ambos: Em pessoas com polimialgia reumática, os resultados de ambos os testes são geralmente muito altos, indicando inflamação ativa.
  • Hemograma: Esse teste é feito para verificar a presença de anemia.
  • Hormônio estimulante da tireoide: Esse exame é feito para excluir a possibilidade de hipotireoidismo, que pode causar fraqueza e ocasionalmente dores nos músculos dos ombros e dos quadris.
  • Creatina quinase: Esse exame é feito para verificar danos no tecido muscular (miopatia), que podem causar fraqueza e dores nos músculos dos ombros e dos quadris. Se o nível de creatina quinase no sangue for elevado, é provável que haja dano muscular. Em pessoas com polimialgia reumática, não há dano muscular; portanto, o nível de creatinina é normal.
  • Teste do fator reumatoide e de anticorpos antipeptídeo citrulinado cíclico: Esses anticorpos estão presentes em até 80% das pessoas com artrite reumatoide, mas não em pessoas com polimialgia reumática. Esse teste ajuda os médicos a distinguir entre os dois distúrbios.

Tratamento

  • Baixa dose de prednisona
  • Baixas doses de aspirina

O uso de uma dose baixa do corticosteroide prednisona provoca geralmente melhoras dramáticas. Se as pessoas também tiverem arterite de células gigantes, uma dose mais elevada é usada para reduzir o risco de cegueira. Conforme os sintomas diminuem, a dose é gradualmente reduzida para a dose mínima eficaz. Muitas pessoas podem interromper o uso de prednisona em menos de um ano. No entanto, algumas pessoas precisam manter uma dose baixa por vários anos.

Os corticosteroides frequentemente causam efeitos colaterais em idosos ( Destaque para Idosos: Arterite de células gigantes e polimialgia reumática).

A aspirina ou outros medicamentos anti-inflamatórios não esteroides (AINEs) podem ajudar a aliviar a dor, mas geralmente são menos eficazes do que a prednisona. As pessoas costumam tomar uma dose baixa de aspirina diariamente para ajudar a prevenir complicações da arterite de células gigantes, tais como derrames, ataques cardíacos ou perda da visão.

A arterite de células gigantes pode se desenvolver no início da polimialgia reumática ou posteriormente, ocasionalmente mesmo após a doença estar aparentemente curada. Portanto, todas as pessoas devem informar imediatamente seu médico a ocorrência de dores de cabeça, dores musculares durante a mastigação, dores incomuns ou fadiga nos braços ou pernas durante a atividade física ou problemas de visão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *