Arquivo da categoria: Vitaminas

A vitamina D e seus benefícios para a prevenção de doenças

Por: previva.com.br

e grande importância para a absorção de cálcio e fósforo pelo intestino, a vitamina D é reconhecida tradicionalmente pela medicina como uma das substâncias essenciais para o fortalecimento dos ossos e a prevenção de doenças como o raquitismo na infância e a osteoporose.

Mas seus benefícios para a manutenção da saúde vão muito além disso.

Diversos estudos recentes vêm apontando uma forte relação entre a deficiência desta vitamina com a ocorrência de doenças crônicas (como alguns tipos de câncer, diabetes, doenças cardiovasculares, esclerose múltipla e depressão) e até mesmo doenças infecciosas (como tuberculose e viroses).

Vitamina D

Saúde que vem do sol

A vitamina D é a única vitamina que também é produzida pelo organismo humano. Na verdade, ela é um hormônio sintetizado pela nossa pele quando exposta à radiação ultravioleta do sol.

Por isso, os especialistas recomendam que as pessoas se exponham à luz solar sem o uso de bloqueadores ou protetores por um período de cinco a 30 minutos, todos os dias.

O tempo de exposição varia de acordo com a cor da pele. Quanto mais escura, maior deve ser o período de exposição.

O processo de absorção da energia ultravioleta para a síntese da vitamina D ocorre da mesma forma em todas as partes do corpo e a quantidade do nutriente que será produzida é proporcional a quantidade de pele exposta ao sol.

Caso a exposição diária não seja possível, ela deve ser feita pelo menos duas vezes por semana. Na impossibilidade de expor áreas maiores, deve-se no mínimo tomar sol nas pernas e nos braços.

O papel da alimentação

Apesar de simples, a recomendação de se expor ao sol frequentemente não é seguida por muitas pessoas – principalmente no caso de idosos hospitalizados e com dificuldades de locomoção ou de quem trabalha durante a maior parte do dia em ambientes fechados.

Dessa forma, para evitar a carência da vitamina D recomenda-se incluir na dieta alimentos ricos neste nutriente.

Entre os alimentos considerados boas fontes de vitamina D estão peixes como salmão, atum e sardinha, ovos, queijo cheddar e carne bovina.

Contudo, mesmo para quem consome grandes quantidades destes alimentos, a melhor forma de se evitar a deficiência continua sendo a exposição ao sol, que responde por cerca de 80% a 90% da síntese de vitamina D no ser humano.

A vitamina D na terceira idade

Devido a questões metabólicas relacionadas à idade, os idosos produzem menos vitamina D em resposta à exposição solar.

O volume produzido por uma pessoa de 70 anos é cerca de quatro vezes menor do que ela produzia quando tinha 20 anos. A deficiência deste nutriente é preocupante principalmente no caso de idosos institucionalizados.

Uma pesquisa feita em 2004 na cidade de São Paulo demonstrou que 92% dos idosos institucionalizados avaliados tinham valores insuficientes de vitamina D, enquanto 85% dos que moravam em domicílio apresentaram o problema. Entre os jovens pesquisados como grupo controle a taxa foi de 40%.

Veja o que diz a professora Marise Lazaretti Castro, da Universidade Federal de São Paulo (Unifesp), especializada em endocrinologia e uma das coordenadoras da pesquisa:

“Quando avaliamos a proporção de pessoas com deficiência de vitamina D, que são valores ainda mais abaixo do ideal, o índice foi de 40% entre os idosos institucionalizados, 15% entre idosos em domicílio e 5% entre os jovens”

Ações preventivas relacionadas à vitamina D

Sabendo da importância dessa substância para a prevenção de doenças, as operadoras de saúde podem criar ações de medicina preventiva para esclarecer seus beneficiários sobre os benefícios da vitamina D.

Entre elas estão a promoção de palestras sobre o assunto, a distribuição de material informativo impresso ou digital, a organização de caminhadas e outras atividades ao ar livre, além do incentivo para que as pessoas (principalmente os maiores de 60 anos) meçam o nível da vitamina em seus organismos e comecem a fazer reposição caso seja necessário.

Ações mais específicas podem ser realizadas junto a grupos de beneficiários selecionados de acordo com seus perfis de saúde.

Vitamina D e doenças autoimunes

Como a vitamina D é necessária para a manutenção do tecido ósseo, ela também influencia consideravelmente no sistema imunológico, sendo importante no tratamento de doenças autoimunes, como a artrite reumatoide e a esclerose múltipla, e também na prevenção do câncer.

Vitamina D na gestação

Para as gestantes, o consumo da vitamina D é essencial. A falta dela pode levar a abortos no primeiro trimestre. No final da gravidez, a carência do nutriente favorece a pré-eclâmpsia e aumenta os riscos de ocorrência de autismo.

Vitamina D e obesidade

Já para os grupos que participam de programas de controle da obesidade, a importância da vitamina D pode ser destacada repassando algumas informações aos beneficiários. Além de promover o metabolismo da gordura, a substância inibe o crescimento das células adiposas e aumenta a quantidade de leptina, hormônio que envia sinais de saciedade ao cérebro, auxiliando no controle do apetite. A vitamina D também ativa a força dos músculos, facilitando a redução do excesso de gordura no tecido muscular.

Vitamina D e diabetes

No combate à diabetes tipo 2, deve-se ressaltar que níveis baixos de vitamina D estão relacionados a uma disfunção chamada resistência à insulina, hormônio que faz com que a glicose que está no sangue entre nas células. Quem apresenta resistência à insulina costuma ter acúmulo de glicose na circulação sanguínea, o que caracteriza a doença.

Como podemos ver, a manutenção da vitamina D em níveis adequados é uma grande aliada em diversas ações de medicina preventiva.

Vamos falar sobre Vitamina B17

Por: Jo Toledo – Bioterapeuta

Uma das melhores formas de prevenção do Câncer é ingerir alimentos ricos em Vitamina B17.
Dá a seu Sistema Imunitário um bom impulso.

Os alimentos que contêm essa vitamina são conhecidos como nitrilosides. Antes de conhecer sobre as fontes dessa vitamina, vamos dar uma olhada em como estas vitaminas são benéficas para nós.

A vitamina B17 serve para melhorar a saúde em geral, aumentar os níveis de energia e bem-estar e desintoxicar e limpar o organismo, ISSO EM QUANTIDADE MUITO PEQUENA

Vitamina B17 cura câncer?

A vitamina B17 tem sido muito estudada ao longo das décadas e é utilizada pela medicina complementar ou alternativa para o tratamento de câncer.

Um dos primeiros estudos realizados com a vitamina B17 foi em ratos com câncer e durou cerca de 5 anos. Durante o estudo, foi observado a regressão completa dos tumores, combinando a vitamina B17 com enzimas proteolíticas, como as encontradas no mamão e abacaxi. Porém, esse estudo foi acusado de uma série de fraudes e outros estudos, desse mesmo período, concluíram que a vitamina B17 não atuava contra o desenvolvimento do câncer.

Entretanto, muitos outros estudos sugerem efeito positivo no combate das células cancerígenas. Isso pode ocorrer devido à presença de uma enzima presente apenas nesse tipo de células que metaboliza a vitamina B17,  gerando uma substância tóxica que destrói as células de câncer.

A vitamina B17 pode ser facilmente encontrada nos caroços da cereja, pêssego, nectarina, ameixa, maçã e, principalmente no damasco. Além disso, também está presente na amêndoa, lentilha, macadâmia, castanha de caju, gergelim e alguns cereais, como o sorgo, painço, cevada, centeio e arroz integral.

COMO TODA SUPLEMENTAÇÃO O USO DE B17 EM CÁPSULAS DEVE SER ACOMPANHADA POR UM PROFISSIONAL

Leia também: Os 10 alimentos ricos em B17

 

Vitaminas e Nutrientes

Por:  Blog Biologia Total

1. O que é um nutriente?

Um nutriente é qualquer substância usada no metabolismo corporal adquirida através da alimentação. As vitaminas e os aminoácidos essenciais são exemplos de nutrientes.

 

2. Qual a diferença entre macro e micronutrientes?

O critério de classificação dos nutrientes em macro e micronutrientes não tem nenhuma relação com o tamanho das moléculas. Macronutrientes são aquelas substâncias que o organismo necessita em grande quantidade, como por exemplo, proteínas e carboidratos. Os micronutrientes são nutrientes no qual o organismo precisa em baixas quantidades, como no caso das vitaminas.

 

3. De acordo com a função que exercem como os nutrientes podem ser classificados?

Uma classificação bastante útil e funcional é aquela que separa os nutrientes em três grupos: energéticos, estruturais e regulatórios.

Os nutrientes energéticos são aqueles usados como fonte de energia pelo metabolismo, na maioria das vezes essa função é exercida pelos carboidratos, porém, lipídios e proteínas também podem ser usados para tal fim.

Os nutrientes estruturais são aqueles utilizados no suporte e na estruturação das células e tecidos. Eles são os aminoácidos que em conjunto, formam proteínas como o colágeno, a hemoglobina, a albumina, etc.

Os nutrientes regulatórios são aqueles que formam as enzimas e coenzimas responsáveis pela homeostase (equilíbrio funcional), metabolismo osmótico e equilíbrio eletrolítico das células. Alguns aminoácidos, vitaminas e sais minerais fazem parte deste grupo.

4. O que são vitaminas? Quais são as principais vitaminas necessárias aos seres humanos?

A maioria das vitaminas atuam como coenzimas (substâncias fundamentais para o funcionamento das enzimas) e não são produzidas pelo organismo, precisando serem obtidas através da alimentação.

As vitaminas mais importantes para os seres humanos são as vitaminas A, C, D, E, K, além das vitaminas do complexo B (incluindo o ácido fólico, a biotina e o ácido pantotênico).

 

5. Qual a diferença entre as vitaminas hidrossolúveis e as lipossolúveis? Por que as lipossolúveis podem causar problemas se consumidas em excesso?

As vitaminas hidrossolúveis são aquelas solúveis em água. Já as vitaminas lipossolúveis são aquelas solúveis em óleos e gorduras (lipídios). A vitamina C e as vitaminas do complexo B são exemplos de vitaminas hidrossolúveis. As vitaminas A, D, E e K são exemplos de vitaminas lipossolúveis.

O fato das vitaminas lipossolúveis não serem solúveis em água, faz com que o organismo tenha dificuldade em excretá-las.  Exatamente por isto, a tendência dessas vitaminas é acumular-se nos tecidos, produzindo efeitos tóxicos quando são ingeridas em quantidades superiores as necessárias.

 

6. Quais são os maiores problemas ocasionados pela deficiência de vitamina A? Como está vitamina atua nos mecanismos da visão?

A deficiência da vitamina A (retinol) no organismo pode causar cegueira noturna, ressecamento da córnea e predisposições ao aparecimento de lesões na pele.

 

7. O que é ácido fólico? Por que a anemia causada pelo sua deficiência é conhecida como anemia megaloblástica?

O ácido fólico (chamado de folato quando na forma ionizada) é uma coenzima que participa da síntese e duplicação do DNA. Por esta razão, ele é fundamental para o processo de divisão celular. Caso não haja quantidade suficiente de ácido fólico dentro das células com alto grau de renovação, como é o caso das células vermelhas do sangue, elas acabam por terem a sua produção reduzida.

Na deficiência de ácido fólico, as células percursoras (reticulócitos), que originam os eritrócitos (glóbulos vermelhos), iniciam o processo de divisão celular de forma muito lenta, enquanto que o crescimento do citoplasma destas células que estão se dividindo, continua normal. Assim, as células acabam se tornando anormalmente grandes, um efeito típico desta anemia chamada de anemia megaloblástica.

A anemia megaloblástica também pode ser causada pela deficiência da vitamina B12 (cianocobalamina), pois esta vitamina também é importante para a divisão celular.

 

8. Quais são as vitaminas que formam o complexo B? E quais são os problemas associados a falta destas vitaminas?

As vitaminas do complexo B são: tiamina (B1), riboflavina (B2), niacina (B3). Estas três vitaminas são importantes na constituição das moléculas aceptoras de hidrogênio (FAD, NAD e NADP) envolvidas no metabolismo energético. Além delas ainda fazem parte do complexo B a piridoxina (B6) e a cianocobalamina (B12).

A deficiência da vitamina B1 causa beribéri, falta de apetite e fadiga. A carência de vitamina B2 causa lesões na mucosa da boca, língua e lábios. A deficiência em niacina causa problemas neurológicos, distúrbios digestivos, perda de energia e pelagra. A falta de vitamina B6 causa lesões na pele, irritação e convulsões. A vitamina B12 age junto com o ácido fólico e sua carência gera problemas no processo de divisão célula causando anemia perniciosa (um tipo de anemia megaloblástica).

A absorção da vitamina B12 depende de uma substância denominada fator intrínseco que é secretada pelo estômago.

 

9. Como a vitamina C age no organismo? Qual problema é causado pela sua carência? Por que a falta de vitamina C era conhecida como a doença do “marinheiro”?

A vitamina C, ou ácido ascórbico, participa do metabolismo do colágeno que é fundamental para a integridade dos capilares sanguíneos.

Escorbuto é o nome da doença causada pela falta de vitamina C. Este problema se caracteriza por lesões na pele, lábios, gengiva, nariz e articulações. O escorbuto era conhecido como a doença do marinheiro porque nas expedições marinhas do passado, não era comum haver comida a bordo que continha vitamina C, como as frutas cítricas, por exemplo. Por este motivo, muitos marinheiros desenvolviam o escorbuto.

10. Por que não se podem aquecer os alimentos que contém vitamina C?

Para a obtenção da vitamina C, como por exemplo, de um doce de laranja, a comida que contém esta vitamina não pode ser aquecida. Isto ocorre porque a vitamina C é termolábil, sendo inativada com o calor.

 

11. Qual é a relação entre a vitamina D e o banho de sol?

A vitamina D, ou calciferol, inicia seu processo de síntese na pele devido à ação dos raios ultravioletas do sol sobre moléculas precursoras. Depois ela é transformada na forma ativa no fígado e nos rins.

 

12. Qual doença é causada pela deficiência de vitamina D? Quais tecidos são afetados?

A falta de vitamina D causa uma doença conhecida como raquitismo. Este problema se caracteriza pela descalcificação dos ossos e deformação dos mesmos. Esta vitamina é fundamental para a absorção de cálcio contribuindo para a manutenção da saúde do tecido ósseo.

 

13. Qual a função da vitamina E? Em quais alimentos ela pode ser encontrada?

A vitamina E, ou tocoferol, é uma vitamina lipossolúvel que participa como coenzima na cadeia respiratória (etapa final da respiração celular aeróbica). A sua deficiência pode causar esterilidade, aborto espontâneo e distrofia muscular.

Esta vitamina pode ser encontrada no germe de trigo, leite, ovos e vegetais folhosos.

14. Por que alguns tipos de hemorragia são atribuídos a carência de vitamina K?

A deficiência de vitamina K predispõe ao aparecimento de hemorragias devido ao fato dela ser de fundamental importância para a formação da protrombina no processo de coagulação do sangue.

 

15. Qual a função da biotina e do ácido pantotênico no organismo? Como essas vitaminas são obtidas?

A biotina, também conhecida como vitamina B8, é uma vitamina que age no metabolismo de vários aminoácidos. O ácido pantotênico ou vitamina B5 é importante para a respiração celular aeróbica, pois atua no transporte do radical acetil.

A fabricação da biotina é fabricada por bactérias que vivem no interior do tubo digestório humano (interação harmônica interespecífica) de forma suficiente para garantir as necessidades diárias do organismo. A biotina e o ácido pantotênico são encontrados nos vegetais, cereais, ovos, peixe, leite e carne magra.

16. Quais sais minerais são responsáveis pelo controle da pressão osmótica celular?

Os principais sais minerais que atuam na regulação da pressão osmótica dentro das células e tecidos são o cloro, o sódio e o potássio.

 

17. Qual é a principal função celular do potássio?

Além de ser de importante para o mecanismo de regulação osmótica e equilíbrio ácido-base da célula (PH), o potássio é fundamental para os mecanismos de excitação dos nervos e contração dos músculos.

18. Quais são os sais minerais presentes na dieta que atuam como coenzimas?

São eles: magnésio, zinco e cobre.

19. Qual a doença causada pela deficiência de iodo na dieta?

A falta de iodo no organismo causa o hipotireoidismo, que é uma queda anormal na produção dos hormônios da tireoide que precisam de iodo para serem formados.

20. Qual a importância de uma dieta rica em ferro? Qual doença é causada pela carência deste nutriente?

O ferro é um importante constituinte da molécula de hemoglobina e de enzimas que atuam na digestão e no metabolismo energético. Uma dieta pobre em ferro, causa anemia devido à queda da concentração de hemoglobina no sangue. Vale salientar que durante a gravidez, o feto consome muito ferro, podendo causar anemia na mãe.