Frequência do Cobre e as Doenças

Frequência do cobre | Frequência vibracional pura do metal cobre.

Efeito: eleva a vibração humana em níveis físicos, mentais e energéticos.

Uso: ouvir diariamente com a duração completa (fones de ouvido, lado direito e esquerdo colocados corretamente) Volume agradável a você. Sugere-se ouvir por 21 dias.

Pode ser ouvida com o corpo estático ou em movimento (dirigindo, exercitando-se ou fazendo atividades domésticas, por exemplo) mantendo os pensamentos sempre voltados para seus objetivos de vida. Por deixar o corpo com disposição e vitalidade, esta frequência deve ser ouvida durante o dia e longe do horário de dormir.

Se a frequência for ouvida em telefone celular, este deve estar em modo avião. O volume não importa: ouça no volume que for agradável para você.

O Cobre atua nos protegendo de radiações e ondas eletromagnéticas negativas de celulares, computadores e antenas.

Compartilhar:
error0

Aranto – Para que serve?

Por: Tuasaúde

O aranto, também conhecido como fortuna, é uma planta medicinal com origem na ilha africana de Madagascar, mas pode ser facilmente encontrada no Brasil. Além de ser uma planta ornamental e de fácil reprodução, possui propriedades medicinais que devem ser usadas com atenção pelo risco de intoxicação com suas altas dosagens.

Não deve-se confundi-lo com o amaranto que é um cereal sem glúten rico em proteínas, fibras e vitaminas.

Confira aqui os benefícios do amaranto.

O nome científico do aranto é Kalanchoe daigremontiana e plantas pertencentes a essa família possuem a substância bufadienolídeo com propriedades que podem ser eficazes no combate ao câncer. Essa associação ainda não está totalmente esclarecida por estudos científicos e ainda necessita de mais pesquisas.

Para que serve o aranto

Para que serve

O aranto é popularmente utilizado no tratamento de doenças inflamatórias e infecciosas, nos episódios diarreicos, febres, tosses e na cicatrização de ferimentos. Por possuir ações sedativas também usa-se em pacientes com doenças psiquiátricas como os ataques de pânico e a esquizofrenia.

Pode ser eficaz no combate ao câncer devida sua potencial propriedade de citotoxicidade, atacando as células cancerígenas. Porém, até o momento, ainda não há comprovações científicas suficientes desse benefício com o consumo direto das folhas da planta.

Propriedades medicinais

O aranto possui ações anti-inflamatórias, anti-histamínicas, cicatrizantes, analgésicas e potencialmente antitumorais.

Modo de uso

O uso popular do aranto é feito com o consumo de suas folhas na forma de sucos, chás ou cruas em saladas. Não devem ser ingeridas mais de 30g de aranto por dia pelo risco de efeitos tóxicos no corpo com suas altas dosagens.

A aplicação em feridas também é tradicionalmente utilizada para acelerar o processo de cicatrização.

Antes de iniciar o consumo do aranto deve-se consultar o médico e é indispensável a certificação de que se trata da planta correta para não correr o risco de ingerir espécies de plantas tóxicas ao ser humano.

Possíveis efeitos colaterais

Há riscos de intoxicação com o consumo acima de 5 gramas/dia/Kg de quem consumir o aranto. Dessa forma, recomenda-se uma dose diária de no máximo 30 gramas da folha, pois a ingestão de uma dosagem maior pode causar paralisia e contrações musculares.

Contraindicação

O consumo de aranto é contraindicado para mulheres grávidas pois pode interferir nas contrações uterinas. Crianças, pessoas com hipoglicemia e com pressão baixa também não devem consumir a planta.

Não há outras contraindicações, dentro da dose diária indicada, por não ser o aranto classificado como planta tóxica, mas é indispensável consultar o médico antes de iniciar o consumo do aranto.

Compartilhar:
error0

Royal Raymond Rife: O Cientista perseguido pelos laboratórios

Por: ciclofinal.blogspot.com

Republicação: texto revisado.

Conheça Royal Raymond Rife, mais um gênio esquecido e desprezado. Tal como aconteceu com Nikola Tesla, também Rife pagou caro por suas invenções.

Este brilhante cientista (1888-1971), após estudar no Johns Hopkins, desenvolveu uma tecnologia que ainda hoje é usada nos campos da ótica, eletrônica, radio-química, bioquímica, balística e aviação.

Os modernos microscópios eletrônicos matam instantaneamente tudo o que estiver sob ele, vendo apenas os restos mumificados e os detritos. O que o microscópio de Rife podia ver era a atividade de viroses viventes enquanto eles mudavam de forma para se acomodar ás mudanças no ambiente.

Rife, identificou meticulosamente a assinatura espectroscópica individual de cada micróbio. Ele então girou lentamente prismas de blocos de quartzo para focar a luz de comprimento de onda único sobre os micro-organismos que estava examinando. Este comprimento de onda foi selecionado porque ressonava com a frequência da assinatura do espectroscópio do micróbio baseado no fato agora estabelecido de que cada molécula oscila em sua distinta frequência.

Os átomos que se juntam para formar uma molécula são mantidos juntos nessa configuração molecular com uma cadeia de energias covalentes que emite e absorve sua própria frequência eletromagnética específica. Nenhuma entre duas espécies de moléculas tem as mesmas oscilações eletromagnéticas ou assinatura energética. A ressonância amplifica a luz da mesma maneira que duas ondas do oceano intensificam uma a outra quando se juntam.

O resultado de usar um comprimento de onda ressonante é que os micro-organismos que são invisíveis na luz branca repentinamente se tornam visíveis em um brilhante flash de luz quando são expostas à frequência de cor que ressona com a sua própria e distinta assinatura espectroscopia. Rife, viu estes organismos, invisíveis de outra forma, invadindo ativamente culturas de tecidos. A descoberta de Rife possibilitou a ele ver organismos que ninguém mais poderia ver com microscópios comuns.

Mais de 75% dos organismos que Rife podia ver com seu Microscópio Universal são visíveis somente com a luz ultravioleta. Mas a luz ultravioleta está fora do âmbito da visão humana, é invisível para nós. O gênio de Rife permitiu-lhe superar esta limitação pelo heteródino, que basicamente, é uma técnica de combinar dois sinais para obter um terceiro sinal. Ele iluminou o microscópio (geralmente um vírus ou bactéria) com dois comprimentos de ondas da mesma frequência da luz ultravioleta que ressonava com a assinatura do espectro do micróbio. Estes dois comprimentos de ondas produziam interferência onde eles se juntaram.

Esta interferência era, em efeito, uma terceira onda, mais longa que adentrou a porção visível do espectro eletromagnético. Foi assim que Rife tornou visíveis os micróbios invisíveis sem matá-los, um feito notável que os microscópios eletrônicos atuais não podem repetir.

Neste tempo, Rife estava tão à frente dos seus colegas dos anos 1930 que eles não poderiam compreender o que ele estava fazendo, sem ir ao laboratório de Rife em San Diego. Muitos fizeram exatamente isso e viram com seus próprios olhos.

Uma delas foi Virginia Livingston. Ela finalmente se mudou de New Jersey para Point Loma nos arredores de San Diego e se tornou uma frequente visitante do seu laboratório. Hoje, é frequentemente dado a Virginia Livingston o crédito por identificar o organismo que causa o câncer humano, começando pelas pesquisas que ela começou a publicar em 1948.

Na realidade, Royal Raymond Rife tinha identificado o vírus do câncer humano primeiro … nos anos 20! Então, fez mais de 20.000 tentativas sem sucesso para transformar células normais em células tumorais.  Finalmente conseguiu quando irradiou o vírus do câncer, o passou pelo filtro ultrafino de porcelana que retinha células e injetou em animais de laboratório. Não satisfeito em provar que este vírus causava um tumor, Rife então criou 400 tumores em sucessão a partir da mesma cultura.

Documentou tudo em filme, fotografias e registros meticulosos. Deu ao vírus do câncer o nome “Cryptocides Primordiales”. Virginia, em seus papéis, o renomeou “Progenitor Cryptocides”. Royal Rife nunca foi nem mesmo mencionado em seus papéis. De fato, Rife raramente obteve o crédito por suas descobertas monumentais. Ele era um cientista quieto e modesto, dedicado a expandir suas descobertas, mais do que ambições, fama e glória.

Rife também trabalhou com cientistas e doutores renomados do seu tempo, que também confirmaram ou endossaram várias áreas do seu trabalho. Aumentando a intensidade de uma frequência que ressonava naturalmente com estes micróbios, Rife aumentou suas oscilações naturais até que distorcessem e se desintegrassem. Rife chamou esta frequência de “taxa oscilatória mortal (TOM), e não causou danos nenhum aos tecidos vizinhos.

Os instrumentos de Rife atuais usam certas frequências selecionadas e seus harmônicos para executar o trabalho. Estes princípios podem ser ilustrados pelo uso de uma intensa nota musical para quebrar uma taça de vidro: as moléculas do vidro já estão oscilando em algum harmônico (múltiplos) dessa nota musical. Nada além do vidro é destruído. Há literalmente centenas de trilhões de frequências de ressonâncias diferentes.

Rife levou muitos anos até descobrir as frequências que destruíam especificamente herpes, pólio, meningite espinhal, tétano, influenza e um número imenso de outros organismos causadores de doenças perigosas.

Em 1934, a Universidade da Califórnia do Sul formou um comitê especial de pesquisa médica para trazer pacientes de câncer terminal do Hospital de Pasadena County para o laboratório e clinica de Rife em San Diego para tratamento. A equipe incluía doutores e patologistas reconhecidos para examinar os pacientes – se ainda vivos – em 90 dias.

Após os 90 dias de tratamento, o comitê concluiu que 86,5% dos pacientes tinham sido completamente curados. O tratamento foi então ajustado e os restantes 13,5% também reagiram nas 4 semanas seguintes. O índice de recuperação total usando a tecnologia de Rife foi de 100%.

Em 20 de novembro, 44 das mais respeitadas autoridades médicas do país honraram Rife com um banquete anunciando “o fim de todas as doenças” sob os cuidados do Dr. Milbank Johnson em Pasadena. Mas em 1939, quase todos estes distintos doutores e cientistas negaram o encontro. O que aconteceu para fazer com que tantos homens brilhantes tivessem esse completo lapso de memória? Parece que a notícia do milagre de Rife com pacientes terminais tinha chegado a outros ouvidos.

Em primeiro lugar, uma tentativa foi feita para “comprar” Rife. Morris Fishbein, que tinha adquirido todo o estoque da Associação Médica Americana em 1934, enviou um advogado/procurador a Rife com um oferta que foi recusada. Nunca soubemos os termos exatos desta oferta. Mas sabemos os termos da oferta que Fishbein fez para Harry Hoxsey para controlar o seu remédio herbal contra câncer. Os associados de Fishbein receberiam todos os lucros por nove anos e Hoxsey não receberia nada. Depois, se eles estivessem contentes com o desempenho do produto, Hoxsey passaria a receber 10% dos lucros. Hoxsey decidiu continuar o negócio sozinho.

Quando Hoxsey recusou a proposta de Fishbein, este valeu-se das suas conexões políticas imensamente poderosas para prender Hoxsey 125 vezes em 16 meses. As acusações (baseadas em prática sem licença) foram sempre removidas no tribunal, mas o tormento levou Hoxsey à loucura.

Mas Fishbein deve ter concluído que a sua estratégia não funcionaria com Rife. Primeiro, Rife não poderia ser preso por prática sem licença como Hoxsey. Uma acusação falsa significaria que as testemunhas de defesa de Rife seriam apresentadas por proeminentes autoridades médicas que trabalhavam com ele. E a defesa teria a oportunidade de apresentar evidência como o estudo médico de 1934 feito com o comitê americano.

A última coisa no mundo que a indústria farmacêutica queria era uma audiência pública sobre a terapia sem dor que curou 100% dos pacientes terminais de câncer e não custa nada além de um pouco de eletricidade.

E finalmente, Rife tinha gasto décadas acumulando meticulosa evidência de seu trabalho, incluindo filmes e fotografias de imagens congeladas.  O primeiro incidente foi o gradual roubo de componentes, fotografias, filmes e registros escritos do laboratório de Rife. O ladrão nunca foi pego. Então, enquanto Rife se esforçava para reproduzir seus dados perdidos , alguém vandalizou seus preciosos microscópios de vírus. Peças do seu microscópio de 5682 partes foram roubadas.

Antes, um incêndio provocado tinha destruído o laboratório de Burnett de vários milhões de dólares, justamente quando cientistas estavam se preparando para anunciar a confirmação do trabalho de Rife. Mas o pior aconteceu mais tarde, quando a polícia confiscou ilegalmente o restante dos 50 anos de pesquisas de Rife.

Os jornais médicos, patrocinados quase que inteiramente pelos anúncios das empresas de drogas e controlados pela AMA, recusaram publicar qualquer artigo de qualquer um envolvido com a terapia de Rife. Portanto, uma geração inteira de estudantes de medicina se formaram e começaram a trabalhar sem nunca terem ouvido falar dele.

A conclusão inevitável alcançada por Rife foi que o trabalho feito durante toda a vida e as suas descobertas não só tinham sido ignoradas, mas provavelmente seriam enterradas com ele. Naquele ponto, ele parou de produzir e gastou o último terço da sua vida se afogando no alcoolismo.

Observações CF: atualmente, existem vários aparelhos que tentam repetir os êxitos conseguidos por Rife. Mas, como o seu trabalho foi roubado e destruído, ninguém sabe as reais especificações dos aparelhos nem as frequências exatas que ele usava para eliminar vírus, bactérias, etc.
Portanto, aconselho o máximo de cuidado a quem queira estudar este assunto, evitando assim efeitos indesejáveis.

ABAIXO ALGUMAS FREQUÊNCIAS RIFE:

 

Compartilhar:
error0

Cozinhar com banha de porco é MUITO melhor do que com óleo de girassol ou canola

Por: Mulher Vix

Antes do surgimento e popularização dos óleos de girassol, canola e outros no mercado, a banha de porco era o ingrediente mais usado no preparo de pratos. O alimento, no entanto, ganhou fama de vilão por, supostamente, elevar os níveis de colesterol, aumentar os riscos de infarto e fazer mal ao coração.

Agora, assim como o ovo, a banha de porco deixou de ser considerada inimiga da saúde e é indicada por grande parte da comunidade médica como uma opção saudável para ser utilizada na culinária.

banha de porcoCONSTANTINE PANKIN/SHUTTERSTOCK

De acordo com Dr. Flávio Madruga, nutrólogo e especialista em medicina esportiva, os inúmeros benefícios da banha de porco fazem com que a gordura animal seja muito mais saudável do que os óleos vegetais refinados.

Assim como a manteiga, o azeite e o óleo de coco, a banha de porco é rica em graxos monoinsaturados, ou seja, é mais estável ao ser submetida ao calor, sendo mais difícil de sofrer oxidação.

Os óleos vegetais refinados que são poli-insaturados, por outro lado, oxidam facilmente quando aquecido e liberam substâncias extremamente tóxicas e inflamatórias, explica o médico.

Benefícios da banha de porco para a saúde

banha gordura animal 0118 400x800ANNA HOYCHUK/SHUTTERSTOCK

Quanto mais se estuda sobre a gordura animal, mais se confirma que nossos avós é que estavam certos quando cozinhavam com a banha de porco. Ela é livre de gorduras trans e açúcares, possui baixo teor de sódio, é rica em vitaminas B, C, D, cálcio, além de minerais como fósforo e ferro.

O nutrólogo afirma que a banha de porco tem uma composição equilibrada entre gorduras saturadas (40%) e gordura monoinsaturada (45%) e ainda ajuda a prevenir as doenças cardiovasculares, elevando o nível de HDL (o chamado colesterol “bom”) e diminuindo o de LDL (o colesterol “ruim”).

Além disso, a banha de porco, se comparada aos óleos de girassol e canola, por exemplo, é mais barata. Por não possuir nem sabor e nem cheiro, a gordura pode ser utilizada em qualquer tipo de preparação sem alterar o gosto da comida.

Alimentação e saúde

Compartilhar:
error0

Tudo o que você sabia sobre a doença de Chagas está errado

Por: https://saude.abril.com.br/

Você deve se lembrar das aulas de biologia no colégio, quando a professora explicava os detalhes da doença de Chagas, causada pelo protozoário Trypanosoma cruzi. Uma das particularidades da enfermidade é sua forma de transmissão: o barbeiro (Triatoma brasiliensis), que você vê na imagem aí em cima, pica a pele de uma pessoa. Na mesma região, deposita suas fezes. Ao sugar o sangue, o inseto provoca uma coceira e, quando o indivíduo toca a região, o cocô – cheio de seres microscópicos – cai na corrente sanguínea. A moléstia tem suas primeiras manifestações dentro de duas semanas, com o aparecimento de febre e mal estar. Daí, ela some do mapa e só vai causar encrencas por volta de duas décadas depois, quando uma parcela dos infectados começa a apresentar graves sintomas cardíacos ou intestinais.

Pois saiba que o tal do barbeiro não é mais o vilão principal dessa história, segundo dados recentes. O médico Abílio Augusto Fragata Filho, do Instituto Dante Pazzanese de Cardiologia, na capital paulista, mostrou que as aulas de ciências precisarão de uma revisão em breve. Em uma palestra do Congresso da Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo, na tarde de hoje, o especialista apresentou estudos que indicam o papel crescente de outras transmissões oportunistas da doença. A forma de contágio mais importante atualmente é a ingestão de açaí e cana-de-açúcar. Isso mesmo: as plantações desses dois produtos são o habitat do inseto. Em locais sem uma higiene adequada, ele acaba triturado junto com o fruto arroxeado ou os gomos doces.

Cerca de 70% dos casos de Chagas no Brasil já são transmitidos desta maneira. O problema está concentrado na região Norte do país, que soma 91% dos relatos da doença, com especial destaque para o estado do Pará. Portanto, nada de alarmismo: o número de afetados não é tão absurdo e os surtos não chegam a atingir uma centena de sujeitos. Também não precisa abolir de vez o açaí com granola e o caldo de cana de sua dieta — apesar de os dois itens serem bastante calóricos e exigerem moderação. Para evitar chabus, compre produtos de origem confiável, que tenham registro nos órgãos de vigilância, como o Ministério da Agricultura.

Veja também

Outras formas de proliferação do Trypanosoma cruzi são transplantes de órgãos, transfusões de sangue e a gestação, caso a futura mamãe esteja infectada. Um bom controle das autoridades de saúde — o que felizmente acontece no Brasil — minimiza os riscos dessas situações. Por fim, vale notar que a doença, antes restrita à América Latina, se espalhou por todo o planeta. Com a globalização e o maior trânsito de pessoas, os Estados Unidos, a Europa, a Ásia e até a Oceania já notificaram casos da doença nos últimos tempos.
Compartilhar:
error0