Vamos falar sobre Vitamina B17

Por: Jo Toledo – Bioterapeuta

Uma das melhores formas de prevenção do Câncer é ingerir alimentos ricos em Vitamina B17.
Dá a seu Sistema Imunitário um bom impulso.

Os alimentos que contêm essa vitamina são conhecidos como nitrilosides. Antes de conhecer sobre as fontes dessa vitamina, vamos dar uma olhada em como estas vitaminas são benéficas para nós.

A vitamina B17 serve para melhorar a saúde em geral, aumentar os níveis de energia e bem-estar e desintoxicar e limpar o organismo, ISSO EM QUANTIDADE MUITO PEQUENA

Vitamina B17 cura câncer?

A vitamina B17 tem sido muito estudada ao longo das décadas e é utilizada pela medicina complementar ou alternativa para o tratamento de câncer.

Um dos primeiros estudos realizados com a vitamina B17 foi em ratos com câncer e durou cerca de 5 anos. Durante o estudo, foi observado a regressão completa dos tumores, combinando a vitamina B17 com enzimas proteolíticas, como as encontradas no mamão e abacaxi. Porém, esse estudo foi acusado de uma série de fraudes e outros estudos, desse mesmo período, concluíram que a vitamina B17 não atuava contra o desenvolvimento do câncer.

Entretanto, muitos outros estudos sugerem efeito positivo no combate das células cancerígenas. Isso pode ocorrer devido à presença de uma enzima presente apenas nesse tipo de células que metaboliza a vitamina B17,  gerando uma substância tóxica que destrói as células de câncer.

A vitamina B17 pode ser facilmente encontrada nos caroços da cereja, pêssego, nectarina, ameixa, maçã e, principalmente no damasco. Além disso, também está presente na amêndoa, lentilha, macadâmia, castanha de caju, gergelim e alguns cereais, como o sorgo, painço, cevada, centeio e arroz integral.

COMO TODA SUPLEMENTAÇÃO O USO DE B17 EM CÁPSULAS DEVE SER ACOMPANHADA POR UM PROFISSIONAL

Leia também: Os 10 alimentos ricos em B17

 

Compartilhar:
error0

DHEA: O Que é, Benefícios, Efeitos Colaterais e Como Tomar

Por: Eládio Amorim – Terapeuta Ortomolecular

Suplementos de DHEA são usados por pessoas que querem aumentar o desejo sexual, criar músculos, combater os efeitos do envelhecimento e melhorar algumas condições de saúde.

DHEA: o que é?

Ele é um hormônio produzido pelas glândulas adrenais de nosso corpo. Esses suplementos são produzidos de soja ou inhame. Não é um suplemento muito conhecido, tanto que são poucos os efeitos conhecidos com clareza. Ele é conhecido como um antecessor dos hormônios femininos e masculinos, incluindo testosterona e estrogênio.

O seu uso pode ser considerado importante, pois não é por toda a vida que nosso corpo produz esse hormônio com intensidade. Após os 20 anos, ele atinge o seu topo de produção e após os 30, isso diminui. Essa diminuição acontece mais rápida nas mulheres do que nos homens, além de acontecerem com mais frequência em pessoas com transtornos hormonais, HIV, AIDS, Alzheimer, depressão, doenças cardíacas, diabetes, entre outros.

O DHEA normalmente costuma ser usado para tratar desequilíbrios hormonais, mas de uns tempos para cá, outros benefícios foram surgindo. Agora ele pode ser usado para tratar a perda de peso, a depressão e a osteoporose.

DHEA: benefícios

Os estudos sobre esse suplemento hormonal são poucos, o que resulta em poucas comprovações. Em consequência disso, não há nenhuma prova de que o DHEA possa ser eficaz no tratamento de insuficiência adrenal, síndrome metabólica, depressão, menopausa, câncer de mama, infertilidade, diabetes e outras doenças.

O fabricante e muitas pessoas também falam que DHEA funciona como um medicamento anti-idade e ajuda na perda de peso, isso também não é comprovado. Mesmo com todas essas “suspeitas” sobre os benefícios do suplemento, existem pesquisas e pessoas que incentivam o uso de DHEA em certas ocasiões.

Compartilhar:
error0

Aspartame – O Doce Veneno

Uma das causas de inúmeras doenças, leiam atentamente.

Todos os produtos dietéticos à venda em grandes superfícies trazem a promessa da solução ideal para os problemas de todas as pessoas com excesso de peso. Pode assim comer os mesmos produtos com menos calorias e gordura. Admitimos que isso soa a algo miraculoso e à solução ideal para essas pessoas mas a verdade é que as consequências desses produtos podem ser fatais e porquê? Porque todos eles têm um ingrediente chamado ASPARTAME!

Quem nunca comeu um alimento Diet? Bebeu uma Coca-Cola Diet? Uma simples delicia da Corpos Danone sem gorduras? Se consumiu algum destes alimentos em alguma altura da sua vida, ou os consome ainda diariamente leia atentamente o seguinte texto, pois a sua saúde e bem-estar estão em perigo.

O Aspartame

O Aspartame é o que nós meros mortais chamam de adoçante. É um adoçante artificial substituto do açúcar que pode ser encontrado nos mais diversos produtos alimentares à venda. Este químico foi descoberto por acaso em 1965 e é constituído por 40% de Acido Aspártico, 10% de Metanol e 50% de Fenilalanina.

Esta composição parece simples e inofensiva mas a verdade é outra. Os dois aminoácidos isolados no Aspartame são fundidos através do terceiro componente, o MORTIFERO metanol. O metanol nesta estrutura tem apenas a função de fundir os dois aminoácidos mas quando este é submetido a temperaturas elevadas pode tornar-se um radical livre perigoso e venenoso.

A Fenilalanina é um dos aminoácidos essenciais que pode ser encontrado naturalmente nas proteínas (ovos, leite, bananas etc.), mas os aminoácidos devem ser consumidos em combinação e não em forma isolada, a Natureza já nos oferece os aminoácidos, o homem é que os isola. A Fenilalanina pode ser prejudicial para os diabéticos (um do publico alvo dos produtos com Aspartame) e para alguns indivíduos que são mais sensíveis a esta substância (sofrem de Fenilcetonúria). Um em cada 10.000 recém-nascidos sofrem desta doença, que se caracteriza por uma deficiência do organismo em metabolizar e eliminar a Fenilalanina, por isso a ingestão de Aspartame nestas crianças ou mães em amamentação pode causar a criança deficiência mental irreversível.

Aprovação do Aspartame

O Aspartame foi descoberto por acaso em 1965 e após anos de testes que demonstravam os efeitos secundários desta substância e dos problemas que trazia com ela, foi finalmente aprovado para consumo em 1981 e a marca que o comercializa é a NutraSweet ou Equal (que curiosamente pertence à Monsanto) e os perigos deste “Doce-Veneno” têm sido guardados secretamente desde então.

Você estará provavelmente a perguntar-se porque é que nunca ouviu falar do envenenamento por Aspartame antes. Pois bem as empresas que produzem produtos dietéticos valem triliões de Euros e estas empresas fazem tudo para proteger os seus lucros, e assim esconder os perigos dos alimentos que comercializam é a solução para as vendas não caírem. Em pouco mais de 15 anos de uso de Aspartame o número de vítimas de algumas doenças (por exemplo Esclerose Múltipla, lúpus entre outros) subiu em flecha e agora as pessoas e médicos estão finalmente a entender a causa para tais doenças. Apesar de tudo estas empresas continuam a fazer o seu trabalho sujo e a desmentir todas as acusações e provas, apesar de serem inúmeros os estudos e as vitimas que provam o contrario.

Envenenamento por Aspartame

Existem até hoje 92 sintomas que indicam o envenenamento por Aspartame e até hoje mais de 100.000 queixas oficiais. Dessa lista constam: Epilepsia, Cancro, lúpus, dores de cabeça crónicas, dores abdominais ou até mesmo a MORTE.

Muito são os cientistas e médicos que dizem que a doença que mais afecta o mundo ocidental hoje em dia é a Doença do Aspartame, pois o Aspartame pode ser a causa de doenças como:

Tumores, alergias, Esclerose múltipla, Parkinson, Epilepsia, Cancro, lúpus, infertilidade, Fibromialgia, Síndrome das pernas cansadas, Enxaquecas, Depressão e distúrbios no sistema nervoso central, Irritações vaginais, e aumento de peso.

A estrutura química do Aspartame faz com que o corpo sinta os sintomas destas doenças e é a isto que se chama a doença do Aspartame, pois muitos são os doentes diagnosticados com estas doenças que após seguirem o programa de desintoxicação recuperam a sua saúde.

Se sofre de alguma dor crônica ou persistente e consome Aspartame diariamente (no café, iogurtes, chocolates etc.) pare imediatamente, pois a única cura para o envenenamento por Aspartame é limpar o seu corpo desta substância.

Como prevenir o envenenamento por Aspartame

Para começar parar imediatamente de consumir produtos que possuam Aspartame.

Se estiver em dieta e não consegue passar sem um “doce” existem inúmeros produtos à venda no mercado que não possuem açúcar nem Aspartame, mas nada melhor que auto-controlar-se e ter uma dieta regrada e saudável.

Avise todos os seus amigos, familiares, colegas etc.

Fale sobre este assunto em casa, no trabalho, reuniões de pais na escola dos seus filhos etc.

Se vir alguém a consumir produtos Diet, pergunte se sofre de algum dos sintomas característicos do Aspartame.

Fale com o seu médico sobre os estudos científicos disponíveis sobre os efeitos negativos do Aspartame.

Caso compre produtos que contenham Aspartame e só se aperceba quando chegou a casa, devolva-os (mesmo que abertos) e alegue que aquele produto lhe causa mal-estar e indisposição. O supermercado irá devolver o produto ao fabricante e ser reembolsado. O fabricante e o supermercado receberão a mensagem.

Divulgue a mensagem em Fóruns, sites, e-mails, etc.

Leia mais e investigue mais sobre esta substância.

Sempre que vá as compras se encontrar produtos que contenham esta substância anote as marcas e faça uma lista que poderá passar a todos que conhece.

Como identificar produtos com Aspartame

Para identificar todos os produtos que contêm Aspartame, deve ler os rótulos e verificar se esta substancia se encontra nos ingredientes.

Sites relacionados:

http://www.dorway.com/

http://www.mercola.com

http://presidiotex.com

Compartilhar:
error0

QUAL O PRIMEIRO NO RANKING DE ALIMENTOS ANTIOXIDANTES?

Por: Rosane Cincinatus – Nutricionista
🍃 Em um estudo verificou-se que o açaí liofilizado (extrato ultra concentrado com excelente poder nutricional) possui uma excepcional atividade antioxidante. Em outras palavras, o açaí em pó apresentou capacidade de entrar nas células de forma funcional e eficaz para neutralizar os radicais livres.🍃 E não é por acaso que o fruto se tornou sucesso mundial, ele figura no topo do ranking dos alimentos antioxidantes, estando muito à frente das romãs, amoras pretas e vermelhas, mirtilos, uvas e morangos, além da constatação de que a atividade antioxidante do plasma humano aumenta significativamente após o consumo de polpa e suco de açaí.

🍃 Há também evidências em progresso e resultados animadores do papel do açaí na luta contra o câncer desde que misturas de extratos polifenólicos de celulose e óleo de açaí inibiram em até 90,7%a proliferação de células cancerígenas do cólon humano em laboratório. Em outro estudo sobre as células de leucemia humana observou-se que os polifenóis do açaí reduziram sua proliferação em 56 a 86%.Já um estudo de pesquisadores brasileiros feito em 2014 concluiu que o açaí tem potencial efeito anti-carcinogênico na linha de células MCF-7 (linha celular de tumor maligno da mama humana usada em pesquisas), causando redução da viabilidade celular, alterações morfológicas e indução da autofagia.

🍃 O polifenol presente nas frutas e plantas contribui como vasoprotetor, antiangiogênico, antiaterogênico, vasorrelaxante e efeito anti-hipertensivo, sendo considerado, portanto, como protetor do coração. E, seguindo sobre o benefício cardiovascular do açaí, um estudo mostrou que sua suplementação reduziu o colesterol total e o colesterol não HDL em animais.Estudo publicado na revista Atherosclerosis descobriu que o suco de açaí protege contra a aterosclerose (endurecimento das artérias), inibindo a produção de citocinas pró-inflamatórias.

🍃Já a elevada capacidade antioxidante do açaí beneficia também a função do cérebro, com potenciais implicações para o tratamento de perturbações neurológicas, incluindo a doença de Alzheimer e doença de Parkinson. Uma pesquisa mostrou que o pré-tratamento do tecido do cérebro a partir do córtex cerebral, cerebelo e hipocampo com polpa de açaí congelada diminuiu o dano induzido por ROS – espécie reativa de oxigênio – de lipídeos e proteínas em todos os tecidos cerebrais testados

🍃Só não vale adicionar xaropes como o de guaraná, groselha, caldas….. Estamos falando do fruto puro, ok?😱😍😘

Compartilhar:
error0

Saiba mais sobre a Estévia

Por: Eládio Amorim – Terapeuta Ortomolecular

Estévia é uma planta, Stevia rebaudiana, nativa do Brasil e Paraguai, cujas folhas têm um princípio adoçante natural muito potente, o esteviosídeo.
Aqui vamos contar porquê a estevia é uma alternativa natural tão melhor do que o açúcar, quando a questão é se obter um sabor adocicado nos alimentos.

Você já deve ter se dado conta de que existem, nos supermercados, uma série de produtos onde entra a estévia em extrato.
O extrato da estévia é um pó branco que adoça imensamente mais do que o açúcar da cana-de-açúcar – de 70 a 400 vezes mais.

Esteviosídeo – stévia

O seu poder adoçante pode ser 300 vezes superior à sacarose.
Não contêm calorias.
Extraído da planta stevia rebaudiana, planta nativa da América do Sul.
Uma vez que a stevia é uma planta ela contém outras propriedades que complementam o seu poder adoçante.
Estudos apontam o seu poder em suprimir o crescimento bacteriano nos dentes, regula a pressão arterial, tem poder diurético e de regular os níveis de açúcar no sangue.
Não houveram ainda efeitos colaterais associados, por isso deve sempre que possível ser o edulcorante de escolha.
O seu sabor doce não é afetado pelo aquecimento então pode ser utilizada em chás e outras bebidas, além do preparo de sobremesas em substituição ao açúcar.
Existem diferentes marcas de estevia no mercado, cada uma com um sabor diferente.
Alguns produtos oferecem a stevia associado a outros adoçantes (ex: ciclamato e sacarina) enquanto outros oferecem a stevia pura.

Compartilhar:
error0

importância da desintoxicação na prevenção e tratamento de doenças

Por: Dr. Juliano Pimentel

Desintoxicação

A desintoxicação visa ajudar o corpo a se livrar de toxinas. Claro, o corpo humano possui muitas vias naturais de desintoxicação através do fígado, urina, suor e fezes.

Embora seja um processo complexo, o fígado neutraliza substâncias tóxicas e depois as libera do corpo.

Isso ajuda na recuperação e manutenção dos órgãos do corpo, apoia a função do fígado, e proporciona um “impulso” de micronutrientes importantes.

As dietas de desintoxicação vêm em muitas formas, embora a maioria envolva algum tipo de jejum e são seguidas por um período de reeducação alimentar.

Alguns incluem smoothies, suplementos, ervas, sucos e chás.

Ela ajuda você a cortar alimentos processados ​​e inflamatórios, açúcar refinado, álcool e alguns outros alimentos e bebidas que fazem parte da dieta padrão, isso é incrivelmente eficaz para a desintoxicação.

Os médicos Naturopathic (NDs) nos Estados Unidos, usam regularmente dietas à base de alimentos e dietas de desintoxicação para tratar e apoiar uma variedade de condições médicas. (3)

A desintoxicação pode reverter os sintomas de determinadas doenças e a transformar a sua vida.

O fígado, intestino delgado, rins e cólon são os principais órgãos envolvidos no sistema de desintoxicação do corpo.

O Que Faz A Desintoxicação

Veja alguns benefícios que você receberá, ao desintoxicar o organismo.

  1. Elimina Toxinas

Muitos especialistas em saúde concordam que a carga tóxica (a quantidade de toxinas que o corpo é capaz de lidar) é responsável por uma quantidade considerável de doenças. E, quando você desintoxica o seu organismo, você o livra dessas toxinas.

Comprar produtos orgânicos (frutas e vegetais), juntamente com carne orgânica alimentada com capim e peixe selvagem, diminui seriamente a quantidade de toxinas que você toma no dia-a-dia.

  1. Aumenta A Energia Ao Longo Do Dia

Ela pode aumentar a disposição e energia durante o dia.

  1. Reeducação Alimentar

O objetivo número um da desintoxicação é a reeducação alimentar. Pode incentivar você a melhorar as escolhas alimentares.

Ela ajuda a cortar alimentos tóxicos, e optar por alimentos mais saudáveis a longo prazo.

  1. Ajuda a Controlar A Compulsão

É um mito que a compulsão é controlável ​​apenas com o poder da vontade.

A verdade é que a compulsão alimentar é baseada em desequilíbrios hormonais, e precisam ser abordados e controlados como tal.

Os desejos influenciam significativamente a compulsão alimentar e o ganho de peso, e um plano de desintoxicação inteligente pode ajudar a minimizar ou a eliminar essa compulsão. (6)

  1. Evita O Vício Alimentar

Os alimentos industrializados e processados riam uma onda de dopamina, que é liberada no cérebro (da mesma forma que a cocaína, por exemplo).

Para os indivíduos com um alto nível de receptores de dopamina, podem se tornar viciados em comida, assim como eles ficariam viciados em drogas.

A desintoxicação que se concentra na eliminação de alimentos, e produtos químicos aditivos pode ajudar a evitar o vício alimentar.

Caso sinta dificuldades com a compulsão alimentar ou outros distúrbios alimentares/emocionais, busque ajuda médica.

  1. Micronutrientes Necessários

deficiência de micronutrientes é uma das principais causas de doença e até mortalidade.

O Centro para Controle e Prevenção de Doenças (CDC) aponta alguns dos links mais comuns; como a deficiência de ferro e anemia, deficiência de iodo e condições da tireoide, deficiência de vitamina A, doença ocular degenerativa, deficiência de zinco, doenças respiratórias e outras condições imunes.

Ao se submeter a uma dieta centrada em alimentos e bebidas densas em nutrientes, você estará garantindo que seu corpo obtenha as vitaminas, minerais, fitonutrientes e antioxidantes necessários para uma saúde ideal.

Além disso, muitos micronutrientes são absolutamente necessários para que as vias de desintoxicação dos corpos funcionem corretamente.

  1. Gerencia O Estresse

Um estudo publicado em Endocrinologia Clínica, encontrou uma ligação entre níveis elevados de cortisol e doença hepática gordurosa.

cortisol é nosso principal hormônio do estresse liberado em tempos de estresse agudo e crônico, e quando os níveis são superiores ao normal durante um longo período de tempo; isso pode causar uma série de problemas, incluindo a diminuição da função hepática.

Com a desintoxicação do organismo, você ajudará a regular os níveis de cortisol para gerenciar o estresse.

O aumento da energia, a diminuição da compulsão e os baixos níveis de estresse, são alguns dos motivos para começar uma dieta de desintoxicação.

Metais Pesados

Sintomas 

Níveis elevados de exposição a 23 metais ambientais considerados “metais pesados”, como chumbo, mercúrio, alumínio e arsênico, podem causar toxicidade aguda ou crônica.

Resultando em danos na função mental e nervosa, prejudicando também os órgãos vitais.

A exposição a longo prazo pode levar a processos degenerativos físicos, musculares e neurológicos.

Alguns dos sinais de aviso mais comuns, que você está lutando com a toxicidade de metais pesados ​​incluem:

– Fadiga crônica;

– Doença autoimune;

– Problemas neurológicos;

– Dificuldade para se concentrar;

– Depressão, bipolaridade e ansiedade;

– Demência;

– Insônia;

– Gosto metálico na boca;

– Vômito;

– Dificuldade ao respirar;

– Tosse excessiva;

– Gengivas inchadas e com sangramento.

Danos pulmonares permanentes e morte, podem ocorrer dependendo da quantidade de mercúrio que tenha sido inalado. Danos cerebrais a longo prazo também são possíveis.

Como Limitar A Ingestão 

Se você deseja limpar os metais pesados ​​e outros produtos químicos do corpo, é importante seguir uma dieta de desintoxicação e outras medidas para livrar seu corpo de toxinas.

1- Reduzir Exposição

Se você sabe que tem níveis elevados de metais no organismo, você precisa limitar a sua exposição.

Parar de comer peixes e outros alimentos com níveis elevados de metais e optar por outras opções de proteína livre de metais pesados; faça isso com orientação médica.

Quando se trata de mercúrio encontrado no peixe, por exemplo, é aconselhável que as mulheres que desejam engravidar, grávidas, as mães que amamentam e as crianças a não comerem peixes com alto teor de mercúrio e a comer quantidades limitadas de peixes e crustáceos..

2-Terapia Quelante

terapia de quelação é outra opção quando se trata de desintoxicação de metais pesados.

O tratamento com quelatação com ácido etilenodiaminotetracético (EDTA) foi desenvolvido e utilizado na década de 1950 para o tratamento de envenenamento por metais pesados, para eliminar os metais pesados ​​comuns, incluindo chumbo, mercúrio, cobre, ferro, arsênio, alumínio e cálcio.

A terapia envolve uma solução química chamada EDTA, que é administrada no corpo – normalmente injetado diretamente na corrente sanguínea; para que possa se ligar com excesso de minerais.

Uma vez ligado a toxinas no corpo, EDTA ajuda na desintoxicação (4).

3- Dieta Detox

– Alimentos ricos em vitamina C: Frutas e vegetais ricos em vitamina C podem reduzir os danos causados ​​pela toxicidade de metais pesados, agindo como um antioxidante.

– Coentro e outros vegetais verdes: Coentro e vegetais de folhas verdes como couve, espinafre e salsa são desintoxicantes e podem ajudar a reduzir o acúmulo de metais pesados ​​no corpo.

– Alho e cebola: Estes vegetais contêm enxofre, que ajuda o fígado a desintoxicar-se de metais pesados ​​como chumbo e arsênio.

– Água: Beba no mínimo 2 litros de água por dia para ajudar a liberar as toxinas.

Alimentos Tóxicos 

– Alimentos alérgicos:  Se o seu corpo está lutando contra alérgenos comuns, não será capaz de se desintoxicar dos metais pesados (6).

– Alimentos processados (não-orgânicos): Estes alimentos aumentam a exposição a produtos químicos que pioram os sintomas.

– Alimentos com aditivos: Aditivos são produtos químicos que podem agravar os sintomas de toxicidade e diminuir a capacidade do seu corpo para desintoxicar.

– Álcool: É tóxico para o corpo e pode fazer com que o seu fígado tenha dificuldade para processar outras toxinas.

Organismo Em Movimento

A evacuação regular é essencial para desintoxicação de metais pesados. Isso é importante para você não reabsorver o mercúrio que seu corpo está tentando se livrar.

Ao fazer dieta rica em fibras, beber bastante água e exercitar-se regularmente, você pode evitar a constipação e manter um dos seus melhores processos naturais de desintoxicação ativo.

Embora não haja nenhuma maneira de evitar totalmente os metais pesados na alimentação, tomar alguns cuidados podem reduzir naturalmente a sua ingestão.

Também é importante não se medicar ou fazer mudanças na alimentação sem orientação médica.

E lembre-se, uma desintoxicação verdadeiramente bem-sucedida, é a prova de que que você está entrando em um caminho de mudanças positivas na sua vida!

 

Compartilhar:
error0

Os Desparasitantes e a sua importância

Por: https://bloga8.com/

O vulgarmente denominado “remédio das bichas” é um fármaco desparasitante, isto é, um medicamento que combate as infecções provocadas por parasitas, neste caso, parasitas intestinais.

Os parasitas são um grupo grande de seres vivos que dependem de outro ser vivo para viver. As infecções por parasitas intestinais podem ser transmitidas de diversas formas. Podem ser adquiridas a partir da ingestão de larvas e ovos encontrados no solo, alimentos, águas, poeira, bem como através de mãos sem a devida higienização.

Os parasitas intestinais vivem no intestino alimentando-se neste local. Os sintomas mais comuns das parasitoses intestinais são: dores de barriga, diarreia, gases, falta de apetite, vómitos, náuseas, perda de peso, tosse, anemia e ardência ou prurido anal.  Os parasitas mais usuais são as ténias, as lombrigas e a giardia.

Para prevenir ficar infectado com parasitas é importante ter atenção à limpeza dos alimentos, bem como a higienização das mãos entre outros cuidados de higiene em geral.

Normalmente, quando temos animais, é nos aconselhado a fazer a desparasitação interna a estes duas ou mais vezes ao ano. Mas é importante ter em atenção que se vamos fazer aos nossos animais devemos fazer a toda a família também. Não faz sentido os nossos animais ficarem sem parasitas internos e nós não. O mesmo se passa com as crianças, se vai fazer ao seu filho a desparasitação, também deve toda a família fazer a mesma desparasitação pois se o seu filho ficar sem parasitas mas, por exemplo, os pais ficarem com parasitas vai haver de novo contaminação da criança.

Sei que nem todos os profissionais de saúde são apologistas da desparasitação defendendo, que os parasitas já não existem tanto na sociedade devido aos cuidados crescentes de higiene das ultimas décadas. Concordo com este pressuposto. Contudo, segundo a minha experiência profissional, sei que os parasitas continuam aí, são transmitidos através de animais ou mesmo através de humano para humano. Conheci vários casos de crianças a expelir lombrigas.

Por isso sou sempre da opinião que prevenir é o melhor remédio. Assim defendo que devemos fazer a desparasitação interna de toda a família (animais e humanos) duas vezes por ano.

Ainda por cima a evolução dos fármacos desparasitantes tem vindo a aumentar e agora basta um comprimido e fica o tratamento feito.

Compartilhar:
error0